segunda-feira, 18 de abril de 2011

Matéria que enviei para a revista de responsabilidade Social e Ambiental - PLURALE

Além de ser curioso, achei interessante compartilhar o texto abaixo com vocês. Tenho o maior orgulho de colaborar, sempre que possível,  com a PLURALE, uma revista linda, seríssima e com um conteúdo da maior qualidade. Além disso, tem à frente uma super profissional e grande amiga, Sonia Araripe!

Tomara que gostem...
PERTH , UM EXEMPLO DE CONCIÊNCIA NO CONSUMO DE ÁGUA
Perth é a capital e a maior cidade do estado de Western Australia, além de  ocupar a quarta posição entre as maiores cidades do país, com uma taxa de crescimento acima da média nacional. É uma das metrópolis mais isoladas do planeta e um importante centro comercial e industrial do país.
Fica no estuário do rio Swan e sua área metropolitana encontra-se entre o Oceano Indico e  uma zona baixa costeira conhecida como Darling Range
O maior desenvolvimento econômico de Perth começou após a descoberta de vários depósitos de ouro em Kalgoorlie e após a conclusão das obras da ferrovia transcontinental em 1917.

O clima mediterrâneo de Perth se caracteriza-se por invernos frios e úmidos e verões secos e quentes. A pluviosidade média anual é de 864 mm e a maior concentração de chuvas entre Maio e Setembro,  e quase nada,  de Novembro a Março.
Por essas e outras razões, a água, por aqui, é uma preocupação constante e um assunto seríssimo.
A Water Corporation é responsável pela gestão e proteção dos recursos hídricos de Western Australia e abastece de água potável cerca de 2 milhões de pessoas em todo o estado,  dos quais cerca de 1,6 milhões vivem em Perth. Prover água de alta qualidade, significa investir permanentemente em pesquisa e desenvolvimento de novos recursos, além de estabelecer metas de redução de consumo e informar constantemente à população como utilizar corretamente a água e proteger esse bem tão precioso.
Nas áreas consideradas metropolitanas, a água é proveniente de três principais fontes: represas (água de superfície, de 25% a 50%), solo (lençóis subterrâneos, de 35% a 50 %) e dessalinização da água do mar ( de 15%  a 20%).
O maior consumo de água, que corresponde a 71%, fica por conta das residências.  As empresas são responsáveis por 19%  e amargos 10% restantes,  residem  nos desperdícios e vazamentos, uma luta permanente para todos daqui.
O governo, em parceria com a Water Corporation,  procura divulgar dicas de economia muito interessantes. Veja essas, relativas à economia de água na cozinha, responsável por 10% do consumo de água numa residência:
·         Reparar as torneiras que ficam pingando. O gotejar pode desperdiçar de 30 a 200 litros de água por dia;
·         Utilizar lava-louças com selos de qualidade 5 estrelas (são as mais econômicas e chanceladas pela National Water Conservation;
·         Utilizar as lava-louças apenas quando estiverem cheias;
·         Usar a quantidade de água suficiente no cozimento de legumes, apenas cobrindo-os.
Ainda existem outras como: reduzir seu tempo de banho em 1 minuto, reduzir o tempo de irrigação do seu jardim, cobrir sua piscina, evitando a evaporação da água, utilizar a máquina de lavar roupas quando estiver no limite de sua capacidade, regar plantas preferenciamente à noite etc
Além disso, ainda existem as orientações dos dias de rega permitidos para cada residência. O site informa quando você fornece o seu endereço. Muito interessante!
Com compromisso e consciência, esses pequenos atos são de grande ajuda!
DESSALINIZAÇÃO
Vale salientar que Perth foi a primeira cidade da Australia a investir em  *dessalinização de água do mar, construindo sua primeira fábrica em 2006, em Kwinana, 40 km ao sul de Perth, iniciando assim, o abastecimento de água em larga escala para toda a população de WA. Atualmente sua produção é de 130 milhões de litros/dia. Além disso, a planta possui o melhor programa de monitoramento de água dessalinizada do mundo e está sob o severo controle das autoridades de proteção ambiental australianas.
E não fica só nisso não... Outra fábrica já está a caminho e deve começar a operar até o final de 2011, elevando para 30% o suprimento de água dessalinizada para a população de WA.
Vamos torcer para que esse exemplo ecoe mundo afora em prol de um futuro mais tranqüilo e “irrigado” de boas idéias.

*Processo de retirada de sais da água. Utilizado para transformar águas salobra e marinha em água potável.

P.S.: COM TUDO ISSO, ESCUTEI NO RÁDIO ESSES DIAS QUE PERTH AINDA É UMA DAS CIDADES AQUI DA AUSTRALIA QUE MAIS ESTÁ GASTANDO ÁGUA ESSE ANO. HÁ QUE SE SUPERAR! SEMPRE!!!

Um comentário:

  1. Primeiro mundo é outra coisa...
    Muito legal a matéria.
    Saudades...
    bjsss

    ResponderExcluir